3.10.07

Evangélico(s) por Ron Paul

O pastor baptista Chuck Baldwin explica aqui por que razão as lideranças evangélicas, pelo menos as mais mediáticas e chegadas a Washington D.C., ignoram Ron Paul. Baldwin, ele próprio um "líder" religioso, bem dentro daquela "tradição americana" de que Ron Paul se reclama, é um constitucionalista preocupado com as verdadeiras questões morais e políticas, como se pode ler aqui.

Para o grupo de apoio de protestantes evangélicos a Ron Paul, ver Christians for Ron Paul.

27 comentários:

Quizzer disse...

"He currently has a 100% rating from The Conservative Index, which is probably the most relevant and accurate reflection of a congressman's true conservative record out there."

Parei de ler aqui...

O "The Conservative Index" é um indíce etabelecido pela John Birch Society, uma organização excepcionalista e survivalista, que se destacou nos anos 60 pelo radicalismo e paranóia dos seus elementos.

Quem já leu o Getting it Right do Bill Buckley, sobre a "battle for the soul of the GOP" nos anos 50 e 60, está familiarizado com a seita.

Actualmente, a presença de uma reunião da JBS (é assim uma mistura entre um jantar Rotary e um comício neo-nazi) provoca fundados receios de sequestro e suores frios durante umas semanas. Segundo a Wikipedia "It promotes a conspiracist view of history and current reality, linking political and social events to the globalist agendas of secret cabals working behind the scenes. The Society had been greatly marginalized within the conservative movement since the 1960s".

É esta a única organização "conservadora" que dá a Ron Paul um rating elevado. Para o reverendo, é o "most relevant and accurate reflection of a congressman's true conservative record". Estamos conversados quanto ao reverendo.

Luís Aguiar Santos disse...

Caro quizzer, quando quiser aparecer com nome de gente e falar sobre os "real issues", talvez vá almoçar mais tarde e perca tempo consigo.

CN disse...

Pronto, Bill Buckley é o santo padroeiro da sabedoria.

Os outros seitas.

Espera-se a todo o momento a acusação de anti-semitismo e pro-nazismo por associação a não sei quem.

Espera-se não...já começou.

Sobre os neo-cons-trotkistas que celebram a vitória de Estaline na WWII e lhe deram tudo, depois fde ter milhoes em tempo de paz e invadido a polónia, vou dizer o seguinte.

"You are not conservatives"

Quizzer disse...

Caro Luís Aguiar Santos,

Começando pelo fim: eu tenho tentado, julgo, discutir "real issues". Verdadeiramente: gostava de poder discutir o voting record do congressista e as suas posições concretas face à realidade como ela é (com a actual Constituição e tudo, e não outra qualquer).

Quanto ao "nome de gente": temo que nesse aspecto nos apartamos completamente. Para mim, a qualidade de um argumento ou de uma tese não depende, em nenhuma instância, de quem o afirma. Em caso algum. Por isso, é para mim completamente indiferente se aparecem com "nome de gente", de outra coisa qualquer ou sem nome algum. Se assino estes posts como "Quizzer" é por ser este a minha única conta Blogger. Se o blog não a exigisse, assinaria com um acrónimo. Mas eu percebo que, nestas matérias, sejamos diferentes: se para si, o "quem" é importante, faça favor de me o dizer que, doravante, assinarei com o meu nome todos os comentários que lhe dirigir. Sem com isto, de forma alguma, o querer forçar a perder tempo comigo.


Caro CN,

eu não tenho pachorra para manias da perseguição. O livro do Buckley foi escrito quando o John Paul era um jovem adulto. Provavelmente, nunca o leu. Cito-o porque: a) é um bom livro, principalmente para perceber algumas correntes minoritárias do conservadorismo norte-americano durante o século XX e o nascimento do conservadorismo moderno; b) Porque dá uma imagem muito próxima da verdadeira da JBS. A JBS é o que é. Eu também tenho conhecimento em primeira mão - se quiser, faço-lhe o meu testemunho.

Quizzer disse...

Já agora, para um blog que "queria discutir ideias" e que entrou em polvorosa por causa de uns ataques "ad hominem" este é um comportamento, no mínimo, errático.

abrantes disse...

O objectivo do blogue foi e é essencialmente apresentar as ideias do ron paul.

Quanto a dizer que não se discute, acho evidentemente uma injustiça visto já lhe termos respondido à maior parte das suas dúvidas (mal ou bem).

Obrigado pelos conselhos, contudo. Vamos tomar nota.

É bom ver que se preocupa com o nosso blogue, caro quizzer.

Luís Aguiar Santos disse...

É engraçado que o quizzer cite um artigo da Wikipedia que tem um aviso a dizer que o seu conteúdo é polémico. Independentemente de ser legítimo não ter simpatia pela John Birch Society, associá-la ao neonazismo é bem revelador de má-fé. Mesmo o artigo em causa a considera, claramente, anti-fascista e, acima de tudo, anti-colectivista.

Quizzer disse...

Caro LAS,

Eu retiro a referência, que foi feita en passant e figurativamente, ao neo-nazismo. Inspirei-me na minha experiência pessoal que é confessadamente curta. Há imenso material disponível sobre as JBS, cada um fará o seu juízo. A vocação conspiracionista e paranóica é por demais conhecida e comprovável. Já há 50 anos acusaram o Eisenhower de ser um agente comunista. Ver, por exemplo, o livro The Politician, editado pela JBS.

Mas enfim, deixemos o acessório:

- coloca em causa o trecho da wikipedia que eu citei sobre as JBS ou qualquer das coisas que agora afirmei?

- mais importante, concorda com o Reverendo quando este afirma que "The Conservative Index, which is probably the most relevant and accurate reflection of a congressman's true conservative record out there"?

Quizzer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Quizzer disse...

p.s. - Naturalmente, retiro também a referência ao Rotary. Apesar de eu apenas ter pretendido dizer que o ambiente fazia lembrar um misto de jantar rotário com comício neo-nazi, reconheço a infelicidade da metáfora.

Quizzer disse...

p.p.s - a capa do último número da revista oficial da JBS é sobre o projecto de fusão dos EUA, Canadá e México que está a ser preparado.

CN disse...

"a capa do último número da revista oficial da JBS é sobre o projecto de fusão dos EUA, Canadá e México que está a ser preparado."

Isso é mau? Falarem no assunto?

CN disse...

Já agora.

Fala de Buckley e eu apresentei o livro de Rothbard.

Luís Aguiar Santos disse...

Respondendo, claramente: sim, acho estranho que o reverendo tenha a JBS em tão alta consideração.

Quizzer disse...

Fez bem. Eu só li trechos, mas, em breve, conto fazer uma leitura de fio a pavio. Mas é muito diverso do de Buckley - este é apenas uma obra de ficção - poderemos chamar-lhe um romance histórico -, sem grandes pretensões, e que, de forma ligeira, explana as lutas partidárias do GOP durante essa fase - dando um particular destaque às JBS. Foi por isso que falei dele.

p.s. - Há algum momento no livro de Rothbard em que ele se refira à JBS?

CN disse...

Creio que é um review:

Buckley Fiction
http://www.lewrockwell.com/orig/epstein11.html

Quizzer disse...

Caro LAS,

Eu não acho estranho - ou, pelo menos, julgo encontrar uma explicação para isso: é que esse será provavelmente o único indíce conservador (incluindo, por exemplo, os indíces do Cato Institute ou da FreedomWorks) em que Ron Paul recolhe uma boa classificação. Costuma atingir perfomances bem melhores nos indíces "liberais", ligados ao Partido Democrata, dos sindicatos, das confederações patronais ou dos movimentos anti-imigração.

É que estes indíces analisam voting records e não textos de opinião ou discursos.

Quizzer disse...

É sim, CN.

"(...) the book still accurately shows the absurdities of some of the John Birch Society’s conspiracy theories, and the cult-like atmosphere of the Objectivists."

Como vê, não existiam razões para tanta exaltação.

Luís Aguiar Santos disse...

Antes de me deitar, que ainda há trabalho antes do feriado: além do CIRA, que outras votações de Ron Paul são discutíveis do seu ponto de vista?

CN disse...

Quanto à JBS, creio que começou lá para 1958 como anti-Comunista e mais tarde começou a juntar a caracteristica anti-conspiracionista comunista o que os levou a perder um bocado o tino embora...


Maccarthy foi tido como meio maluco com as acusações de comuistas no governo e provou-se recentemente que Roosevetl tinha mesmo comunistas no governo e como simpatizantes/espioes de Estaline.

Incluindo o seu principal secretário e que enfluenciou as decisões no decurso da guerra.

... os JBS creio é que passaram a ver conspirações em todo o lado.

Embora isso resulte em obsessões que causam peturbações algo mentais, se existir quem veja a mais que a menos, talvez façam parte da tropa de choque da vigilancia.

Sao os maluquinhos, mas ate os maluquinhos desenvolvem capacidades que outros nao as têm.

Faço estas afirmações por intuição, porque nem conheço nem sequer ainda vi o site. Mas vou faze-lo ja agora por curiosidade.

Quizzer disse...

Receio bem que se as enunciasse aqui, de chofre e em contínuo, até o trabalho depois do feriado ficaria em perigo. São muitas.

Tentarei abordar os casos que me parecem mais importantes, à medida que os assuntos (ou correlacionados) forem abordados no blog; ou, como nesse caso, por iniciativa própria.

Já agora, gostava de lhe dirigir uma questão que coloquei ao Michael Seufer noutro post:

«Este post resulta muito curioso num blog de apoio a Ron Paul. Se me permite, deixar-lhe-ia, duas perguntas:

A constituição norte-americana é produto de quê? A constituição e as instituições políticas formais norte-americanas são burkeanas, emanada do costume, uma ratificação de processos de longa duração, de baixo para cima; ou o resultado de um debate racional, arquitectado por alguns?»

CN disse...

LAS

Mas ainda nao percebi porque Ron Paul teria de votar a favor.

O argumento que tem feito, acho eu, é que não vai votar nenhuma lei que repiya amnestias como ja foram feitas no passado com o perssuposto que era a ultima.

Visto assim, porque é que teria de votar sim só para agradar a Maccain?

CN disse...

"constituição e as instituições políticas formais norte-americanas são burkeanas, emanada do costume, uma ratificação de processos de longa duração, de baixo para cima; ou o resultado de um debate racional, arquitectado por alguns?»"


Agora teoria constitucional. Em que é que isso vai afectar Ron Paul?

Por mim, a historia dos EUA prova que de pouco servem.

São constantemente "interpretadas".

Roosevelt para aprovar o New Deal, ameaçou duplicar o numero de juizes no supremo.

QUanto à direcção da coisa.

A COnstituição Americana em si foi quase um golpe palaciano. Os delegados nao tinham mandatos para aprovar uma Cosntituição, mas sim para modificar o texto da confederação.

As Constituições aparecem como aparecem.

Em Teoria COostitucional é preciso começar pelo tratamento de choque que este não é um texto de direito civil.

Como tal, nao tem capacidade para retirar direitos naturais.

QUanto muito pode enunciá-los e estabelecer a presunção que as pessaso aceitam de forma voluntaria ceder direitos naturais voluntariamente, a bem de um processo politico colectivo.

O principio mais importante?

O direito de secessão. O de poder abandonar tratado que se presume voluntario.

Luís Aguiar Santos disse...

Caro quizzer, constato que, assim de repente, e apesar de serem tantas segundo diz, não lhe ocorre mais nenhuma votação polémica de Ron Paul. É interessante que já esteja a desconversar, agora sobre a história constitucional norte-americana. Tenho algumas ideias sobre isso, mas não eram as questões concretas que queria discutir?

CN disse...

Luis

Acho que devido Às diferenaçs horárias, a nossa noite e o fim de tarde dele, e durante a nossa manhã estará a dormir.

Quizzer disse...

Caro CN,

Eu falo da Constituição americana que o congressista jurará se for eleito Presidente, não outra qualquer.

Caro Luís Aguiar Santos,

Primo: Acha que depois disto - «Eu não acho estranho - ou, pelo menos, julgo encontrar uma explicação para isso: é que esse será provavelmente o único indíce conservador (incluindo, por exemplo, os indíces do Cato Institute ou da FreedomWorks) em que Ron Paul recolhe uma boa classificação. Costuma atingir perfomances bem melhores nos indíces "liberais", ligados ao Partido Democrata, dos sindicatos, das confederações patronais ou dos movimentos anti-imigração», poderei enfrentar alguma dificuldade nessa matéria? Gostaria de abordar a questão da liberdade de comércio internacional e dos direitos aduaneiros; no entanto, para apimentar, a coisa, poderiamos discutir a Senate joint resolution 23, de 2001 - Autorização para o uso de força militar - ou seja, a questão da guerra do Afeganistão. Noutro post já deixei a pergunta a um seu co-blogger: conhece um livro intitulado "Ben Laden: La Vérité Interdite"?

Doppo, creio que a Consituição Americana é coisa bem concreta - que o transcendente a povoa, também me parece; não creio é que seja, em si, coisa dessa esfera. Sei que tem ideias sobre isso (em particular sobre a questão que eu coloquei), e gostaria (sinceramente) de as conhecer.

Luís Aguiar Santos disse...

Caro quizzer, não conheço o livro. Só gostaria que explicasse porque é tão importante conhecê-lo (ao livro). Quanto à Constituição norte-americana, estava a referir-me às poucas coisas que sobre ela aqui escrevi (§12 especialmente), que é pouco e provavelmente não tem nada a ver com o que pretendia. Como verá, sou amador em tudo, até no meu apoio a Ron Paul (apoio esse que, além do mais, é irrelevante).