1.10.07

Psicadélicos

Desde há uns tempos os conservadores gostam de Revoluções-às-Cores um pouco por todos os lados. Laranja aqui, amarela acolá. Muito psicadélico para conservadores (seja lá o que isso significar nos dias de hoje).

Apoiar facções, em sociedades naturalmente divididas na sua história e alma (em alguns casos organizadas por proto-clãns que se encostam a seja quem fôr que assegure o seu pequeno domínio, pode ser o a Europa hoje ou a China amanhã) e em fase de aprendizagem e adaptação, entre as ligações à potência local de sempre (onde é muito questionável se é ajuizado plantar bases militares do seu quintal) ou qualquer outra via...em nome de revoluções democráticas é...um conservador devia sabê-lo, brincar com o fogo, fogo que tende a ser revolucionário como o foi no construtivismo pós Grande Guerra (e poderei referir as vitórias islâmicas em eleições?), mas um revolucionário conservador dirá "é pá, mas livramo-nos da velha europa dos monarcas ... grande vitória, pá...". Ron Paul sabe-o.

Como sabe mais coisas: "To reset the debate in a way that reflects reality, it is important for us to reject the idea that the choice is between globalism and isolation. Instead we must stand firm for national sovereignty, constitutional republicanism and international cooperation."

12 comentários:

O-Lidador disse...

Dei-me ao trabalho de ler o livro de Ron Paul,em versão PDF.

Uns dias antes tinha lido "Conspiração contra a América" de Philip Roth, ficção que assenta numa hipotética vitória de Charles Lindberg sobre Roosevelt, nas eleições de 1940.

A coincidência entre as ideias de Lindbergh e as de Ron Paul é arrepiante.....

CN disse...

pois, pois...faça escolhas políticas através de romaces

Já não deve faltar muito para alguém descobrir que Ron Paul afinal é neo-Nazi.

Já se preocupou em ver as semelhanças arrepiantes entre os novos Conservadores e Trotsky?

PS: se me citar textos de Charles Lindberg (e defeitos todos os têm) a provar que não era um patriota americano preocupado com a manutençao das liberdades americanas...

PS2:Já agora, os internacionalistas...

Estaline e o Comunismo ganharam a II Guerra Mundial depois de ter exterminado milhoes durante os anos 30 (e ser sabido) em tempo de paz, e ter invadido a Polónia.

E parece "romance" mas não é. A Polónia acabou na sua mão. quando foi a Polónia que fez os ingleses e franceses declararem guerra (e não o contrário).

O-Lidador disse...

Não sei se Lindbergh era patriota ou não.
Tal como não sei se Noam Chomsky o é,ou Michael Moore.

O que sei é que foi condecorado por Hilter e removido das Forças Armadas americanas, só sendo reintegrado durante a guerra.

Tb não sei se as ideias de Ron Paul são boas ou más para a América, a começar pelo revivalismo do padrão ouro (de que outros países são os principais produtores, ao contrário do dólar).
Provavelmente serão...mas não as vejo como boas para a Europa e muito menos para mim.
Uma América isolacionista teria significado o Reich dos Mil Anos e significará uma Europa sob a chantagem dos russos e dos islamistas.

Prefiro a "pax americana" do que ter de alçar o rabo para Moscovo ou para Meca.

CN disse...

Meu caro

Você é capaz de não ter percebido bem.

Virar o rabo para Estaline foi o que aconteceu na "WWII".

CN disse...

Quanto à Pax Americana.

Em que é que ficaria prejudicada se forem mais prudentes?

O pior que está a acontecer agora é a descridibilização e dismistificação do poder militar americano.

Para conservar a América como reserva, é necessário que esta só utilize as suas capacidades em último caso e com toda a força moral do lado dela.

O-Lidador disse...

"Para conservar a América como reserva, é necessário que esta só utilize as suas capacidades em último caso e com toda a força moral do lado dela."

E está convencido que uma América isolacionista estará ao seu dispôr bastando-lhe bater tocar a campainha?

Não meu caro...a América intervém quando é do seu interesse. E é do nosso interesse que a América sinta que os seus interesses estão no mesmo barco que os nossos.

CN disse...

"América isolacionista "

1. Ainda não consegui perceber o que entende por uma América isolacionista

2. E porque acha que Ron Paul seja tal coisa.

3. Que culpam tiveram os isolacionistas que Estaline tivesse ganho a WWII? Mas sei a culpa que o internacionalimo de Woodrow Eilson teve na subida ao poder do comunismo, fascismo e nazismo.

4. A América como reserva moral e de força é do interesse de todos.

O-Lidador disse...

"1. Ainda não consegui perceber o que entende por uma América isolacionista

2. E porque acha que Ron Paul seja tal coisa."

Caro cn, se calhar não estamos a falar do mesmo Ron Paul. É que no livro que li, o que mais há são profissões de fé no isolacionismo.
Há até um capitulo chamado "Noninterventionist Foreign Policy"

"By what authority does any country interfere in the internal affairs of
another? ", pergunta Ron Paul.

Sim, porque carga de água se há-de interferir nos assuntos internos da Birmânia, Kuwait, Darfur, etc,etc?

Não é do interesse americano tentar fazer vingar um espaço democratico e liberal?
Se calhar não, dirá o cn.

Mas eu acho que sim, porque gosto de viver nesse espaço e com Ron Paul, não tenho a certeza que a América se empenhe muito ..

abrantes disse...

o-lidador,

Acredita mesmo na história dos americanos que salvaram a europa do nazismo de mil anos, é?

A Suiça, por exemplo (e já agora Portugal, embora em menor escala), manteve as suas liberdades antes, durante e depois da WWII.

E só aderiram recentemente à ONU (e depois de um referendo muito discutido). É no entanto um país tradicionalmente de asilo e de boas relações com os seus vizinhos.

Ser contra o intervencionismo não significa forçosamente "isolar-se". Pode significar manter relações diplomáticas e de cooperação e ser inteligente (cínico, dirão muitos talvez com alguma razão).

CN disse...

"Sim, porque carga de água se há-de interferir nos assuntos internos da Birmânia, Kuwait, Darfur, etc,etc?

Não é do interesse americano tentar fazer vingar um espaço democratico e liberal?
Se calhar não, dirá o cn."

Algo ingénuo. No bom sentido, mas no trágico sentido.

Ouça: WIlson tentou fazê-lo e trouxe o inferno à terra. Na WWII entregou-se o planeta a Estaline e ao comunismo.

Essa teoria da revoluçao da ordem internacional por meios militares é muito napoleónico.

Essa visão tem muito de esquerda. Hoje a direita nem o sabe quanto.

CN disse...

Você conhece aquela coisa tipo "de bem intencionados está o inferno cheio"?

QUando apliacada a Estados no uso da força militar e ocupações e "nation building" o que resulta é pior que o inferno.

CN disse...

Koweit. Viu no que deu?

Os paises árabes estavam todos contra Saddam. Passado pouco tempo eles próprios tratariam do assunto.

Mas não. Foi lá proteger-se um negócio de familia.

Os EUA foram para a Arabia saudita na totalmente infundada perigo de invasão. E foi um dos triggers para o crescimento da Al Qaeda (15 Sauditas no 11/9)